Perguntas Frequentes| Bolsas

Perguntas Frequentes

Dúvidas em como se inscrever na bolsa de Recursos Próprios da Univille? Veja o passo a passo.

Perguntas Frequentes

- 1. Como participar do processo de bolsa de estudos?

- 2. Quem pode participar do processo de bolsa?

- 3. O que é cadastro socioeconômico?

- 4. Como acessar o cadastro socioeconômico?

- 5. Após iniciar o preenchimento do cadastro socioeconômico é possível interromper a inscrição e voltar a acessar depois?

- 6. Rendas sem fonte formal, em dinheiro ou não, precisam ser declaradas?

- 7. Empresa pequena, de “fundo de quintal”, deve ser declarada no Cadastro Socioeconômico?

- 8. Os cursos de pós-graduação, os seqüenciais, os de línguas ou as disciplinas de alunos especiais podem ser declarados como gastos com educação?

- 9. O que são considerados gastos com moradia?

- 10. Em quantos programas é possível se inscrever?

- 11. Quem não conseguir entregar os documentos dentro do prazo estabelecido em edital terá outra oportunidade para a apresentação dos documentos?

- 12. Como saber se foi contemplado com bolsa de estudos?

- 13. Quantas parcelas de bolsa de estudo cada estudante têm direito a receber?

- 14. Se o pagamento da mensalidade sobre a qual recaiu a bolsa estiver atrasado, serão cobrados juros?

- 15. Qual a função da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização?

 

- 1. Como participar do processo de bolsa de estudos?


Para participar, o candidato deve:

Ler o Edital vigente disponibilizado em período indicado pela instituição, disponível em

www.univille.br/bolsas;

Preparar os documentos solicitados, conforme Edital;

Acessar o cadastro socioeconômico, no período determinado no Edital. Preencher corretamente seus dados.

Imprimir e assinar o cadastro socioeconômico, que é gerado automaticamente logo após a confirmação da inscrição;

E entregar a documentação, após pré-classificação nas datas estabelecidas no edital.

- 2. Quem pode participar do processo de bolsa?

Todos os acadêmicos matriculados em um curso de graduação da Univille, que não tenham outra formação superior. A inscrição é obrigatória também para quem já foi ou é bolsista e deseja receber o benefício novamente.

 

- 3. O que é cadastro socioeconômico?

O Cadastro Socioeconômico é um formulário eletrônico no qual o acadêmico preenche todas as informações dele e de seu grupo familiar, utilizadas para verificar a situação e condição de sua subsistência. Nele estão informações pessoais, renda, patrimônio, despesas e justificativa da solicitação de bolsa.

 

- 4. Como acessar o cadastro socioeconômico?

O acesso é feito pela internet, no endereço eletrônico www.univille.br/bolsas e depois no link meu espaço. O acesso deve ser feito com senha e login (o cadastro fica proximo ao acesso do boletim).

 

- 5. Após iniciar o preenchimento do cadastro socioeconômico é possível interromper a inscrição e voltar a acessar depois?

Sim. Durante o prazo de inscrição é possível fechar o cadastro socioeconômico e voltar a acessar quantas vezes quiser, pois o sistema salvará os dados preenchidos até aquele momento. Após encerrar as inscrições o acadêmico não conseguirá mais acessar o cadastro socioeconômico para modificar os dados. Se constatar algum erro, deverá informar na entrega de documentos.

 

- 6. Rendas sem fonte formal, em dinheiro ou não, precisam ser declaradas?

Sim. Ainda que não exista fonte formal de recebimento, a renda esporádica ou prestação de serviço avulso deverá ser declarada no somatório da renda mensal.

 

- 7. Empresa pequena, de “fundo de quintal”, deve ser declarada no Cadastro Socioeconômico?

Sim. Seu tamanho não é importante, ela é geradora de uma fonte de renda e deve ser declarada.

  

- 8. Os cursos de pós-graduação, os seqüenciais, os de línguas ou as disciplinas de alunos especiais podem ser declarados?

Não. Somente são considerados os cursos regulares de graduação em instituições de educação superior - IES  pagas.

 

- 9. O que são considerados gastos com moradia?

Consideram-se apenas as despesas referentes a aluguel, financiamento, condomínio, energia, telefone, água, IPTU (apenas da residência onde mora), etc. Não são considerados como despesas de moradia: o financiamento e/ou aluguel de imóveis comerciais ou de lazer.

  

- 10. Em quantos programas é possível se inscrever?

O acadêmico pode se inscrever em quantos programas quiser porém só será permitido o acúmulo de duas modalidades (bolsa de estudo + bolsa por mérito) desde que não ultrapasse o valor total de cada mensalidade do bolsista, já deduzidas às eventuais disciplinas dispensadas e sem alteração de percentual ou carga horária de desenvolvimento das atividades no programa, projeto ou setor.

Bolsa de estudo é aquela concedida a partir da analise do cadastro socioeconômico e bolsa de mérito é aquela concedida a partir da analise do perfil e capacidade de desenvolver atividades em programas ou projetos.

  

- 11. Quem não conseguir entregar os documentos dentro do prazo estabelecido em edital terá outra oportunidade para a apresentação dos documentos?

Não. A ausência no período da entrega da documentação caracteriza a desistência da inscrição e desclassifica o acadêmico do processo da Bolsa. Se o candidato não puder comparecer deverá enviar um representante em seu lugar, com o cadastro socioeconômico assinado e a documentação completa.

 

- 12. Como saber se foi contemplado com bolsa de estudos?

O acadêmico que espera receber bolsa deve acompanhar as publicações de resultado e ficar atento a divulgação de cada parcela, pois há prazo para assinatura da prestação de contas, item obrigatório para receber o benefício.

 

- 13. Quantas parcelas de bolsa de estudo cada estudante tem direito a receber?

 

Cada estudante tem direito a receber 12 parcelas (desde que seja comtemplado no

1º resultado divulgado), porém a concessão do benefício será disponibilizada conforme edital.

 

- 14. Se o pagamento da mensalidade sobre a qual recaiu a bolsa estiver atrasado, serão cobrados juros?

Conforme Lei Complementar Estadual nº281/2005, não é permitida a cobrança de juros de mensalidades sobre as quais recaiu a bolsa de estudo, até a data do repasse da bolsa. No entanto, sobre a parte não coberta pela bolsa os juros incidem normalmente, conforme o contrato de prestação de serviços educacionais, assinado no ato da matrícula.

 

- 15. Qual a função da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização?

Conforme a Lei 281/2005, a fiscalização do cumprimento dos critérios para a concessão, obtenção e manutenção de bolsas de estudo e de bolsas de pesquisa caberá a uma Comissão, criada no âmbito de cada Instituição de Ensino Superior, constituída pelos membros a seguir relacionados, que elegerão, entre si, o seu presidente para mandato de um ano:

I - dois representantes da Instituição de Ensino Superior, pela mesma indicados, para mandato de dois anos;

II - três representantes da entidade representativa dos estudantes, pela mesma indicados, para mandato de um ano;

IV - dois representantes de entidades organizadas da sociedade civil, estabelecidas no município sede da respectiva Instituição de Ensino Superior, eleitos em foro civil específico, para mandato de dois anos; e

V - um representante indicado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional, com a aprovação do Conselho de Desenvolvimento Regional.

 
[^]